Situada na região metropolitana de Belo Horizonte, a 60 km da capital mineira, a história da cidade de Caeté teve início no ciclo do ouro, guardando importantes episódios, como a guerra civil dos Emboabas, disputa entre paulistas e portugueses que almejavam a posse das minas.


Parte do patrimônio artístico e arquitetônico que remonta a esse passado encontra-se ainda bem conservado. Como exemplo disso, pode-se citar a Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, a primeira de Minas Gerais construída em alvenaria de pedra, uma das belas obras do barroco e do rococó. Outras boas opções são os museus Regional e Casa João Pinheiro (Solar do Tinoco), do século XVIII.

Compondo a paisagem do município, está a Serra da Piedade, importantíssimo marco histórico, religioso, paisagístico e turístico, hoje patrimônio natural do Estado.


Cercada pelas serras e densa vegetação, Caeté proporciona um clima aprazível para se viver e para a prática de atividades de ecoturismo e turismo de aventura

A cidade tem tradição religiosa, agraciada por romeiros que visitam o Santuário de Nossa Senhora da Piedade, a 1783 m de altitude. Ao lado do santuário, está localizado o observatório astronômico da Universidade Federal de Minas Gerais. A tradição religiosa dos peregrinos deixa movimentado durante todo o ano o Santuário de Nossa Senhora da Piedade. Principalmente durante o mês de agosto, milhares de fiéis sobem a pé até a extensa ladeira que mede cerca de 5,5 km até o alto da serra para homenagear a santa padroeira do Estado de Minas Gerais.


Lá de cima descortina-se uma deslumbrante paisagem do verde das matas subindo e descendo montanhas e é possível ver parte de Belo Horizonte, Caeté, Raposos, Sabará, e Lagoa Santa e ainda é possível explorar as maravilhas do espaço através dos telescópios do Observatório Astronômico da Universidade Federal de Minas Gerais ou conhecer os equipamentos de controle de tráfego aéreo do Ministério da Aeronáutica.

Guerra dos Emboabas: corrida de ouro e sangue. A Guerra dos Emboabas foi um confronto travado de 1707 a 1709 pelo direito de exploração das recém-descobertas jazidas de ouro na região do atual estado de Minas Gerais, no Brasil. Caeté se tornara o berço do conflito que tinha caráter basicamente econômico e que partiu de um incidente entre bandeirantes e moradores locais. A casa onde morou João Pinheiro, um dos principais defensores dos ideais republicanos e a de seu filho Israel Pinheiro, o fundador da Companhia Vale do Rio Doce, ainda encontram-se preservadas como parte do cenário.

 

A Guerra dos Emboabas foi um confronto travado de 1707 a 1709 pelo direito de exploração das recém-descobertas jazidas de ouro na região do atual estado de Minas Gerais, no Brasil.

Morro Vermelho tem belezas naturais preservadas, flora e fauna ricas e atrai praticantes de esportes  radicais, assim como os que apreciam a vida tranquila e a simplicidade  do interior.

No distrito de Morro Vermelho foi fincado em frente à Capela de Nossa Senhora do Rosário, construção do século 18, um marco da Estrada Real.


Morro Vermelho parece ter se iniciado  nos primórdios da ocupação da região de Caeté, cuja origem remete ao século XVII, e tem história antiga,  conhecido como o primeiro local de insurreição contra a cobrança do  quinto do ouro, imposição feita pelo Rei de Portugal.

Copyright @ All Rights Reserved